19 janeiro 2005

Lembram-se do pinguim?



Stephen King, Rob Reiner, James Caan e Kathy Bates. Quatro nomes sonantes que participaram num assombroso thriller psicológico. O primeiro escreveu, o segundo realizou, o terceiro interpretou e a quarta até ganhou um Óscar. Estávamos em 1990 e o filme em questão intitulava-se Misery.
Quatro anos antes, Rob Reiner tinha realizado Stand by Me, película sobre a cumplicidade de um grupo de amigos. Era a primeira vez que o realizador adaptava uma obra de Stephen King. Quando repetiu a façanha, concebeu Misery e convidou-nos a ser voyeurs da convivência terrífica e obsessiva entre um escritor e a sua maior admiradora.
É certo que Kathy Bates e James Caan formam uma dupla inesquecível mas há uma terceira personagem que não pode ser omitida: a casa. Recordamo-la atulhada de quinquilharia, com as célebres escadas e o famoso corredor a funcionarem como palco para as cenas mais emocionantes. Vemos as torturas, ouvimos os gritos, sentimos o desespero e testemunhamos a loucura mas, quando saímos da sala de cinema, é a recordação da casa que nos persegue como uma espécie de sombra.

3 comentários:

Bufas disse...

Não há dúvida que esse é um grande filme. Ainda hoje tenho arrepios só de pensar na frase "I'm your number one fan".
Fica no entanto uma pergunta ao teu post, e o pinguim? Nunca esquecer o pinguim...

Bufas disse...

Bolas, não tinha visto o pinguim... está lá no titulo. É o condão do bicho de estar sem ser notado.

Rodrigo disse...

A obra-prima do Rob Reiner é When Harry Met Sally e isso é inegável. Não é nada, estou a brincar, nunca vi nem o This Is Spinal Tap nem o Princess Bride. E o papel da sua vida é o de Meathead no All In The Family. Misery é um filme aterrador e a Kathy Bates a actriz mais assustadora de sempre.