28 março 2007

Performance tão genial quanto imprevista

15 comentários:

H. disse...

Ando a hesitar ver este filme, ando ando... É que ver o Hugh Grant nestas figuras é óptimo mas, mas... e o resto?

Mafalda Azevedo disse...

Vamos então por partes…
Claro que Music and Lyrics está longe de ser um grande filme e claro que está a milhas de ser um marco no cinema. Contudo, é um bom momento cómico e está recheado de pequenas preciosidades. Em primeiro lugar, conta com a presença de Drew Barrymore que volta a emprestar toda a sua delicadeza e, ao mesmo tempo, toda a sua energia a esta personagem. Drew Barrymore nunca foi e nunca será uma grande artista mas tem todas as condições para ser considerada uma encantadora actriz de comédia (e atenção que o encanto não é uma qualidade a desprezar. Tomara a Julia Roberts, a Keira Knightley ou a Reese Witherspoon terem o encanto da menina do E.T. Assim de repente, lembro-me das suas prestações em Everyone Says I Love You, Riding in Cars with Boys e 50 First Dates. Nada mal, hum?)
Voltando a Music and Lyrics, os grandes momentos pertencem claramente a Hugh Grant. (E atenção que neste caso sou o mais imparcial possível. Nunca fui fã desta figura.) Os seus desempenhos enquanto cantor famoso dos anos 80 e, mais tarde, enquanto “cançonetista” decadente são óptimos momentos de comédia. Há muito tempo que não via um galã conseguir uma tal versatilidade sem nunca descurar a credibilidade necessária a qualquer personagem. Lembram-se do pobre coitado do Richard Gere a tentar ser um cantor charmoso no Chicago? Muito mau. A interpretação de Hugh Grant neste Music and Lyrics está a milhas disso.
Claro que é facílimo apontar defeitos a Music and Lyrics… Está pejado deles. No entanto, aquilo que peço é que prestem atenção às personagens principais. Garanto que vale a pena. (E melhora o dia... Garanto!)

Marianne disse...

Estou quase a ficar convencida mas não sei se a minha companhia habitual alinha. Que te parece ?

Francisco Valente disse...

vai com o teu amante francês.

Mafalda Azevedo disse...

Ah sim… Porque aqui o Monsieur de Valente é muito exigente… Menos quando vai ao cinema com o outro Monsieur de Valente… Nessas alturas, até o Wedding Crashers marcha!

:)

Marianne disse...

VOU SOZINHA

Francisco Valente disse...

O Wedding Crashers é um clássico

Mafalda Azevedo disse...

Claro que é! E o Owen Wilson é o maior actor de sempre, não?

:)

Francisco Valente disse...

Fica sabendo que o Cahiers du Cinéma já dedicou um parágrafo inteiro à boquinha do Owen Wilson... Agora diga-me...

Concha disse...

Pois eu delirei com este videoclip! Ainda agora que o revi fartei-me de rir, aqui sozinha no meu quarto. Vale a pena ver o filme!

Nabur disse...

Quanto ao filme continuo sem saber... mas este clip é uma recriação genial dos 80's! Fantástico!

Mariana Almeida disse...

Let's POP!! :D

Beijinhos

Gin disse...

Depois de ter lido a tua apreciação aqui no blog, fiquei com bastante curiosidade e tenho de dizer que tinhas razão ;-)
Realmente a primeira parte do filme é divertidíssima. A imitação dos músicos pop da época está fantástica e o simples facto de o filme também não se levar a sério torna tudo muito despretencioso. Se não fosse a segunda parte demasiado previsível podia ser mesmo um filme perfeito dentro do género... Diverti-me... Bjs

wasted blues disse...

Fui ver na 6ª feira e garanto que é um momento bem passado. Longe de poder figurar entre os melhores do género, este filme diverte e faz-nos sentir bem. Às vezes, basta isso ;)

Sempre simpatizei com o Hugh Grant neste tipo de filmes, mas não sabia que também cantava!

Anónimo disse...

O opening deste filme é absolutamente genial. Reune todos os ingredientes de um videoclip anos oitenta ... a camisa de folhos, a formação em estrela deitados no chão, o médico com a luz divina do anjo que caiu do céu, o arco iris que antecede o coração efeito especial na maca ... pop goes my laugh pop goes my laugh

Rita