23 março 2006

Quando o talento é descoberto



Presley Chweneyagae



Terry Pheto

Façamos figas para que Tsotsi não seja o primeiro e último filme em que estes actores puderam fazer uso do seu enorme talento. O cinema só tem a ganhar com rostos como estes, capazes de transmitir tudo através de uma enorme economia de palavras e de gestos. E nós também.

Parabéns pelo Óscar!

5 comentários:

Concha disse...

Para além da qualidade dos actores, somos confrontados com a re-humanização de um marginal, a sociedade de um bairro de lata, a vida em Joanesburgo...

Gostei muito deste filme!

Vodka e Valium 10 disse...

Do movimento e da expressão era isso que o Dario Fo, o Stanislavski e o Lee Strasberg diziam.

Felizmente há muito boa gente que os ouviu e leu.

Anónimo disse...

queria só dar os parabéns ao site,continua muito bom!!!!!!!!

um beijinho do brasil!!!!

Ana disse...

Não me pareceu um grande filme. Tinha tanto para o ser: por que aquele final a puxar à lágrima, em que um grande actor se espalha (quem não se espalharia em tal cena?); por que tanta repetição do que já estava dito várias vezes (já víramos o ambiente, as personagens, já perceberamos a história do Tsotsi)?

H. disse...

é uma história humana muito bem contada. e sim, esses actores (e ñ só) estão fabulosos.
vou fazer figas tb!