15 junho 2006

Suposição matinal

Se eu resolvesse fazer um inquérito de rua e perguntasse a rapazes portugueses, nascidos entre 1978 e 1988, qual o filme preferido, tenho quase a certeza de que a resposta seria uma de duas: Braveheart (para os menos "cinéfilos") ou The Big Lebowski (para os mais "cinéfilos").
(Para todos aqueles que não se incluem nesta suposição, o meu mais sincero cumprimento cinéfilo.)

16 comentários:

Hugo Alves disse...

Os resultados dessa suposição serão, certamente, devidos ao monopólio de distribuição de cinema "made in usa"...é o produto da falta de escolha. Perdão, da escolha reduzida.

De qualquer modo, achas mesmo que as respostas seriam essas?

Mafalda Azevedo disse...

Bom dia!
Acho mesmo que, na maior parte dos casos, essas seriam as respostas. Não concordas?

Hugo Alves disse...

Caríssima,

Conheço alguns "espécimens" que tendem a responder "the english patient". (isto até que dava uma sondagem engraçada!). Em qualquer caso, como é consabido, nenhuma dessas respostas será a minha. (felizmente!)

Big lebowski? Braveheart? Caso para dizer: "Dégueulasse!"

:-)

André Lamelas disse...

Apontaria mais para o "Fight Club", "Memento" e "Requiem for a Dream", verdadeiros bastiões desta juventude.

Mas quem perde são eles. :p

Nuno Pires disse...

Nasci em 1982, e um dos meus filmes "chave" é "Magnolia" de P.T. Anderson, porque foi este que me deu vontade de fazer cinema. Na história do cinema em geral, apontaria para "Rear Window" de Hitchcock ;)

Joana disse...

Hummm... o que te faz pensar nisso Mafalda ? A escolha dos filmes parece-me estranha.

Nuno Pires disse...

Gostaria de convidar os cinéfilos deste blog (que acabo de descobrir) à ante-estreia do meu documentário "Uma vida nova" dia 18 de JULHO, na CINEMATECA, às 21H30.

Mais informações em:
http://nunopires.com/umavidanova

Para receber um convite, é só mandar-me a sua morada para aqui: nuno@nunopires.com

Obrigado ;)

Francisco Valente disse...

Pôr o Braveheart e o Big Lebowski no mesmo saco...

Mafalda Azevedo disse...

Atenção que eu não pus o Braveheart e o The Big Lebowski no mesmo saco! Aliás, até acho que são filmes muito distantes em termos de qualidade...

Joana disse...

Sondei o meu irmão, especimen nascido em 1987. Nunca viu o Braveheart e não conhece o big lebowski. A referência geracional para ele e os amigos é o Matrix.

Ladies Love disse...

Qual é o problema do Big Lebowski? É um óptimo filme dos Cohen - eu, pessoalmente, prefiro o Barton Fink ou o Fargo (nunca vi o Miller's Crossing, mas gostava de ter visto, conta?) -, qual é o mal? As pessoas identificam-se com a parte stoner do Jeff Bridges, do tipo mais preguiçoso de sempre que passa o dia a fumar droga e resolve um crime.

Rui Silva Freire disse...

Seria razoável esperar uma resposta do tipo "é impossível escolher dois ou três filmes"?

Assusta-me pensar no que são realmente as escolhas da maior parte dos jovens, especialmente porque nos arriscamos a ouvir "American Pie 2" ou algo parecido.

Daniel Pereira disse...

Mafalda, ainda venho a tempo? Só para acrescentar que "os cinéfilos que curtem mais fixe" diriam "Fear and Loathing in Las Vegas".

Duarte Valente disse...

Bem, eu nasci em 1987. E nunca vi o Braveheart e nunca me apeteceu. Quanto ao Big Lebowski, pareceu-me apenas um filme com uma certa piada, não mais. De resto, penso que é muito, mas muito mesmo, restricto, enunciar esses dois filmes como obras de uma geração, por mim nem chegariam a preferidos.
Enfim, a cada um os seus gostos.

Beijinhos Mafalda

Gin disse...

Mafalda, que duas opções tão estranhas para uma geração específica :-)
Em que se fundamenta essa suposição?
Desculpa, mas não me parece nada realista.
O tema em si era capaz de dar uma análise engraçada se um inquérito desses fosse levado avante...

Mafalda Azevedo disse...

Querida Gim,

Que bom ter três comentários teus no meu blog!
Em relação à minha “suposição matinal”, que tanta polémica tem levantado, devo dizer que é fruto de um certo cansaço da minha parte. Explicando melhor, já me sentia cansada de conversar com rapazes que me diziam maravilhas sobre o Braveheart (filme de que gosto muito pouco) ou sobre o The Big Lebowski (filme que considero realmente original). A uma certa altura, dei por mim a pensar: “Mas não há gente diferente?”. Claro que há e claro que esta geração tem um gosto muito eclético. Posto isto, esta suposição deve ser encarada como uma espécie de desabafo e não como uma análise.

Muitos beijinhos,
Mafalda